quarta-feira, 9 de março de 2011

→ Só oração mesmo...



Ontem (16/09) Pancas foi alvo de algo que não é tão comum  para uma cidade de sua dimensão. Um assalto à mão armada feito em uma loja chocou o comércio e trouxe a sensação de insegurança. Além da ousadia do assaltante em cometer o crime à luz do dia no centro da cidade, o que também chamou a atenção foi o fato de não ter próximo ao  local nenhuma viatura no momento do delito!
A sociedade acuada, busca sempre um culpado para os fatos: Será a falta de segurança policial? As drogas? Será a administração? Ou é culpa do poder punitivo? 

Não! Para essa pergunta não existe um culpado único. É um efeito em cadeia.  Não só em Pancas, mas de maneira geral, quando há ausência do Estado no sentido de fornecer ao povo saúde, educação de qualidade, desenvolvimento profissional e ético, cultura, lazer e qualidade de vida, os moradores deste lugar tem uma educação periférica e à margem da sociedade pomposa. Aprendem a cultura do tráfico, das drogas, da vida ilícita, e passam a ser regidos por leis que não são as do contrato social, mas do contrato tácito feito por força criminosa. O pior , é que, quando acontece uma situação extrema como a que foi noticiada, e aparece as mazelas, todos olham o autor do fato como "o abominável", mas abominável mesmo é toda sociedade por deitar em nossas camas confortáveis diariamente e nada fazer para melhorar uma comunidade, um morro, uma favela. O assalto que aconteceu em Pancas e que acontece em Colatina, Vitória e em todo resto do mundo, na realidade é fruto da nossa omissão.
Agora entendeu quem são os culpados? 
Definitivamente, a culpa não está naqueles que se corrompem pelo meio que vivem, mas dos que não impedem a marginalização, ou não realizam uma inclusão social adequada. A sociedade deve se preocupar com a abrangência do papel do Estado, reivindicar os direitos cabíveis aos cidadãos, sem discriminação. O Estado por sua vez, deve realizar políticas públicas com intuito de garantir a população, os direitos inerentes como a educação e meios de vida dignos. Assim, todos terão acesso as mesmas oportunidades. Do contrário, só mesmo muita oração e ajuda divina para nos livrar do que é mal.

4 comentários:

  1. EU ME AJOELHO AOS SEUS PÉS APOS ESSA POSTAGEM.
    PERFEITA!
    É FATO que o governo tem uma carga de responsabilidade enorme sobre as nossas vidas e que a lei funciona apenas quando falamos dos criminalizados toscos. E nós o que fazemos para mudar o estado?Simmmmmmmm,aqueleee soberano a quem entregamos a nossa liberdade pra conter a guerra de todos contra todos...NADAAAA....Ao conrario...o senso comum vive a falar merda pelos cutuvelos e a nao fazer NADA.Enfim, acho que uma frase resumi o meu sentimento diante desse argumenot:"NÃO HÁ INDEPENDENCIA SEM MORTE".

    ResponderExcluir
  2. Amei a postagem!
    É culpa sim nossa por nem se quer saber exatamente o motivo da ocorrência, por não fazermos nada a respeito de tais fatos.
    Concordo plenamente contigo, falta-se muito incentivo cultural, social, profissional por parte do Estado, e digo ainda, a população DEVE se manifestar, confrontar, ter peito mesmo pra enfrentar o Estado, pois somos nós que fixamos quem está lá redigindo as leis. As manifestações sociais é que mudam a lei nesse país. DEVEMOS correr atrás do que é de nosso direito!

    ResponderExcluir
  3. Amigo, de forma triste concordo com cada palavra que disses, pois se trata de uma realidade que não desejamos viver.
    É da nossa sapiência que o poder emana do POVO e esse POVO exerce o poder através dos REPRESENTANTES ELEITOS. Através disso vemos claramente que somos nós os responsáveis por nossa realidade. Nós que temos o poder de mudar o futuro, escolhendo candidatos que nos representarão da forma digna e justa. Por isso sou a favor da não reeleição de candidatos, cada um teve tempo necessário pra mostrar sua lealdade para com os que colocaram-no naquela cadeira, mas essa é outra história...
    Fato é que, estamos, atualmente, frente ao momento da cidadania explícita, momento em que o povo pode expressar se quer mesmo continuar recebendo as mazelas que o governo dá e com ela se satisfazendo, ou mudar pra um governo com politicas sociais que tornarão nosso país exemplo de cidadania, sociabilização e de uma cultura inteligente que se preocupa com o próximo.

    No mais, adorei seu blog,
    fique bem,

    Bjos,

    Gi.

    ResponderExcluir
  4. Poxa, falou tudo e falou muito bem.

    ResponderExcluir